Posts Tagged ‘fé’

A salvação pela fé

Written by Stefano Mozart on . Posted in Estudo Bíblico

A salvação pela fé é um assunto básico da vida cristã. Infelizmente, muitas vezes é um tema tratado como “tão básico” que deve ser relegado a segundo plano, como um assunto que só precisa vir à tona quando um incrédulo ou um novo convertido estiver recebendo os primeiros ensinamentos acerca do evangelho.

Uma pessoa pode aprender as letras no alfabeto e depois nunca mais pensar ou falar sobre elas, mesmo usando-as para escrever textos sobre os mais diversos e complexos assuntos. Mas um cristão não pode abandonar a salvação pela fé e partir para coisas superiores. Pois, que pode ser superior? Que é mais importante para o pecador que sua salvação? Que certeza mais elevada pode ter o pecador, senão aquela que funda sobre o Salvador?

É por isso que Deus disse essa palavra ao profeta Habacuque, com a instrução de que escrevesse em tábuas, para que a pudesse ler até quem passasse correndo: “Porque a visão ainda está para cumprir-se no tempo determinado, mas se apressa para o fim e não falhará; se tardar, espera-o, porque, certamente, virá, não tardará. Eis o soberbo! Sua alma não é reta nele; mas o justo viverá pela sua fé.” (Hb 2:3-4).

É imprescindível, para o cristão, perceber que sua salvação, sua história com Deus, não apenas se inicia pela fé. Ela subsiste e progride pela fé. Toda nossa jornada como filhos de Deus é trilhada pela fé. O justo é gerado pela fé. O justo vive pela sua fé. Creio que foi essa percepção que levou Paulo, em seu “tratado do evangelho” aos irmãos em Roma, a dizer:  “Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego; visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: O justo viverá por fé” (Rm 1:16-17).

Podemos receber bastante ajuda se meditarmos no significado da expressão “de fé em fé”, utilizada por Paulo na afirmação acima. Ela provavelmente significa que a fé nos conduz, desde nosso “primeiro encontro” com o Senhor, até o dia eterno, em que estaremos para sempre com Ele. É a fé que nos permite desfrutar o poder de Deus no evangelho. Foi a fé que nos salvou, e sempre nos salvará. Talvez seja por isso que, ao revelar nossa habitação final, o Senhor tenha se mostrado como o Cordeiro: para que nos lembremos eternamente de nossa salvação pela fé Nele (Ap 21:22-23; 22:1, 3).

O Senhor Jesus atestou por várias vezes que a fé foi o motivo, a causa, a força motriz da salvação daqueles que O encontravam. Ele disse àquela mulher que foi curada ao tocá-lo: “Tem bom ânimo, filha, a tua fé te salvou” (Mt 9:22). Ao cego, que Lhe pediu apenas que retornasse a ver: “Vai, a tua fé te salvou” (Mc 10:52). À mulher pecadora, que ungiu os pés do Senhor, e os enxugou com seus cabelos: “A tua fé te salvou; vai-te em paz” (Lc 7:50). Essas pessoas foram salvas em situações distintas e foram resgatadas de problemas distintos: mas todas foram salvas pela fé. Diariamente, podemos ser salvos da morte, da cegueira, dos muitos pecados. Podemos ser salvos em diferentes aspectos e diferentes níveis, mas seremos sempre salvos pela fé.

Um dos aspectos mais importantes da salvação pela fé é a justificação, isto é, o perdão de nossos pecados. Pois os nossos pecados fazem separação entre nós e Deus. E o pecador não possui nem é capaz de produzir qualquer sentimento, devoção ou obra que possa transpor essa barreira. Todos os homens foram sepultados debaixo do pecado e não há um justo sequer (Rm 3:10). Essa conclusão é importante, pois orienta o foco de nossa atenção. Se pudéssemos construir uma torre que nos levasse até Deus, isto é, se fôssemos justificados por obras, então deveríamos dedicar toda nossa vida a isso. Mas não somos justificados por obras, somos justificados pela fé. Por um lado, isso indica que a fé deve receber especial atenção. Por outro lado, significa que não podemos nos fiar em nossas obras, que, em última instância, é o mesmo que confiar em nós mesmos.

Na casa de Simão, o fariseu, nenhum daqueles que confiavam em si mesmos lavou os pés do Senhor, nem Lhe deu o ósculo, nem ungiu Sua cabeça. Nenhum deles foi perdoado. Nenhum deles amou o Senhor. Mas aquela mulher pecadora, que não conseguia fazer outra coisa senão chorar, teve seus muitos pecados perdoados. Ela permaneceu aos pés do Senhor. Amou o Senhor. Ela foi salva. Tudo isso pela sua fé (Lc 7:36-50). É claro que não podemos simplesmente “apontar o dedo” para aqueles fariseus e deixar de considerar o fato de que nós confiamos demais em nós mesmos. Por isso a justificação pela fé teve tanto destaque no ensinamento apostólico (At 15:9; 26:18; Rm 3:22-30; Gl 2:16-20; 3:8, 24; Fp 3:9; 2 Ts 2:13; 2 Tm 3:15).

Outro aspecto da salvação pela fé, e que resulta da justificação, é a paz com Deus. Havia uma inimizade “natural” entre nós e Deus, pois a inclinação da carne é inimizade contra Deus (Rm 8:7). Mas agora, “justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo;” (Rm 5:1). A nossa inimizade contra Deus também nos fazia inimigos de Seu povo, nos afastava de Suas alianças e promessas. Mas ao sermos justificados pela fé em Cristo, também foi feita a paz, e, por isso, temos acesso à comunidade de Deus, Sua casa, e às Suas promessas. Temos acesso ao Pai, em um só Espírito (Ef 2:12, 17-18).

Pela fé que nos justificou, nos deu paz com Deus, e nos deu acesso a Ele, também temos acesso à graça. Ser salvo pela fé, portanto, também significa ser salvo pela graça, à qual temos acesso pela fé. “(…) obtivemos igualmente acesso, pela fé, a esta graça na qual estamos firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus” (Rm 5:2). “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus;” (Ef 2:8).

A salvação pela fé também significa ter Cristo vivendo em nós, viver uma nova vida Nele. Significa andar, agir, pela fé, e não pelo que vemos (2 Co 5:7). Pois é pela fé que Cristo faz morada em nossos corações (Ef 3:17). Pela fé, temos um novo referencial, uma nova realidade, uma nova vida. E assim, somos salvos de viver como vivíamos antes, na carne. “Logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim” (Gl 2:20).

Ser salvo pela fé é também receber o Espírito (Gl 3:2). O derramamento do Espírito era uma promessa feita a todos, a toda carne (Jl 2:28;  At 2:33). Mas apenas quando ouvimos a palavra da verdade, o evangelho de nossa salvação, e cremos, é que, pela fé, somos selados com o Espírito Santo da promessa (Ef 1:23). Pela fé, a promessa se torna realidade: nós recebemos o Espírito (Gl 3:14, 18).

Ser salvo pela fé é também ser firmados na esperança (Cl 1:23; 2 Co 1:24; Gl 5:5). É nos fortalecer pela fé, para ficarmos de pé até o fim (Rm 4:20; 11:20; Lc 21:36; Ef 6:13). Isto é, a salvação pela fé também implica que somos “guardados pelo poder de Deus, mediante a fé, para a salvação preparada para revelar-se no último tempo” (1 Pe 1:5). Assim, a salvação pela fé também diz respeito a uma salvação que é futura, mas que, não obstante, já nos preserva hoje. É uma herança a ser recebida futuramente, mas que pode ser desfrutada hoje (Hb 6:12).

Foi olhando para essa salvação futura, esse quinhão, que, pela fé, muitos obtiveram bom testemunho no passado. “Os quais, Por meio da fé, subjugaram reinos, praticaram a justiça, obtiveram promessas, fecharam a boca de leões, extinguiram a violência do fogo, escaparam ao fio da espada, da fraqueza tiraram força, fizeram-se poderosos em guerra, puseram em fuga exércitos de estrangeiros. Mulheres receberam, pela ressurreição, os seus mortos. Alguns foram torturados, não aceitando seu resgate, para obterem superior ressurreição; outros, por sua vez, passaram pela prova de escárnios e açoites, sim, até de algemas e prisões. Foram apedrejados, provados, serrados pelo meio, mortos a fio de espada; andaram peregrinos, vestidos de peles de ovelhas e de cabras, necessitados, afligidos, maltratados (homens dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos, pelos montes, pelas covas, pelos antros da terra ” (Hb 11:33-38).

Essa é a salvação pela fé. É a experiência que, “de fé em fé”, no conduz ao Senhor, nos justifica, nos dá paz com Deus, nos dá acesso à graça e faz com que Cristo habite em nossos corações. A salvação pela fé nos enche do Espírito, nos fez viver de modo digno, nos dá um testemunho, uma esperança. A salvação pela fé é a experiência de usufruir, hoje, a salvação que está preparada para revelar-se no último tempo. Ser salvo pela fé é experimentar tudo isso, todos os dias. É sofrer todos esses efeitos a cada vez que trazemos à memória a morte de Cristo na cruz, o sangue que Ele derramou por nós, e cremos.

“Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestiduras [no sangue do Cordeiro], para que lhes assista o direito à árvore da vida, e entrem na cidade pelas portas.” (Ap 22:14).

Onde encontrar o rio

Written by Stefano Mozart on . Posted in Citações, trechos de livros etc

João 7 é incrível! Graças a Deus pela comunhão que nos aproximou de Cristo pra ver isso: Vida cristã interior vs vida cristã pública.

Muita dissensão e confusão é produzida pela falta de uma vida em oculto com Ele, por causa de tantas coisas exteriores. O Senhor não veio da Judéia, não precisou ser confirmado pela sua família, por autoridade terrena e/ou autoridade religiosa nenhuma. Ele sempre se ocultou da fama e do reconhecimento público. Exigiu de nós somente uma coisa: Crer Nele.

Para experimentar os rios de água viva não é preciso nenhum intermediário, nenhuma reunião, nada. É crucial reunir, não me entenda errado. O Senhor morreu para produzir a Igreja. Mas a reunião é, ou deveria ser, uma comunhão entre os membros resultante de uma vida individual assim com Cristo, que é abundante em oculto, não pública. Os rios estão acessíveis em seu interior, creia Nele!

– Gustavo Varallo